Crônicas e Poemas

Quando uma amizade chega ao fim.

7 de outubro de 2014

Com o tempo, percebi que certas amizades chegaram ao fim porque uma das partes parou no tempo, não evoluiu, esqueceu que os anos foram somados, as experiências se acumularam e o diário ficou pequeno para tantas confissões. De amigos – cúmplices das memórias, da troca de confissões – a estranhos. Quem sabe, na melhor das hipóteses, conhecidos, merecedores de sorrisos breves, palavras vazias e um pequeno espaço na memória, nada além, nada do que poderia ter sido.

Dissimulamos ao insistir e esconder as evidências que não somos o que um dia chegamos a ser. Não compartilhamos dos gostos, dos bons sentimentos. Às vezes, sinto que continuei caminhando enquanto você parou, teve medo de sair da inércia e mudar, entrar na vida adulta e viver novas aventuras. Pergunto-me se você sente medo de viver.

Eu, ao contrário de você, tive uma realidade diferente, talvez não privilegiada, mas não a troco por nenhuma tranquilidade da sua. Eu encontrei um amor, uma carreira, uma motivação para fazer da minha vida um espetáculo apenas meu e tenho o poder de escolher com quem posso dividi-lo.

Uma parte de mim ainda reclama, quer as horas e horas gastas em comunicadores instantâneos contigo, e depois de um tempo percebo: “ela também se esforçou”. Não questiono o nosso nível de amizade, devo confessar que você é um doce, prestativa, mas acabou. Acabou porque não temos nada em comum. Você subiu em um pedestal invisível e a corrente do tempo nos distanciou, não os quilômetros. Temos crenças opostas, formas de defender e ver a vida. Eu fico cansada da sua passividade. Eu prefiro a ação, a revolução. Desculpe-me, mas me tornei mulher, enquanto você ainda não percebeu que também envelhece.

Eu sinto muito, muito mesmo, mas eu optei pelo adeus, porque com a minha chegada dos trinta, não quero estar ao lado de quem não bate palmas comigo. Não quero ouvir as mesmas reclamações de anos e anos atrás. Fale menos, lute mais. Eu lutei, eu venci, eu estou andando, e você?

Fizemos nossas escolhas e o tempo apenas fluiu.

Gostou? Compartilhe!

You Might Also Like

No Comments

Deixe uma resposta