escafandro1

DICAS: FILME E MÚSICA.

Ao contrário do que via bastante em certas redes sociais (não vale a pena citar o nome), eu realmente tenho uma admiração incrível pelos filmes, mas não me arrisco a falar que sou uma cinéfila, tampouco uma apaixonada por Jean-Luc Godard. Eu apenas gosto de filmes, alimento minha coleção por mero prazer em tê-los ao alcance dos meus dedos quando sinto-me sozinha ou quero apenas relaxar, deixar minha mente navegar pelas feições dos atores, a trama, a fotografia… Viajo de forma gratuita e não canso meus olhos com as letras miúdas de algum livro. No caso da música, é algo um pouco mais antigo. Digamos que seja uma herança indireta que meu pai deixou. Eu aprendi a amar La Mer, Elvis Presley, Janis Joplin, Deep Purple, Chico Buarque, até Birdy com base no que ele me ensinou pela música. Não sou eclética, porque acho uma palavra vulgar e abrangente demais. Eu gosto de boa música, por isso salto de Elvis para Noiserv e não me incomodo.

Vamos para a lista?

MÚSICA:

Quero começar com uma banda nacional, a Maglore. Eu poderia listar todas as músicas da banda, e ainda seria pouco. Eu simplesmente me arrepio com a maioria das músicas deles. Deixe de lado essa mesmice musical e embarque nas letras da Maglore, porque sem dúvida, é uma banda que ouviremos falar bastante daqui um tempo. Eu escolhi “Lápis de Carvão”, é uma das minhas preferidas, mas recomendo também “Despedida”, é simplesmente incrível. Maglore serve para aquele fim de tarde pensativo, sabe? E ao mesmo tempo lhe dá uma energia sutil para bater os pés e sorrir. Traduzindo? Ok, Maglore é uma bebida saudável para o seu coração.

Outras dicas que preciso deixar por aqui são:

NOISERV, com a música Mr. Carousel, é fabuloso.

Josh Groban. Eu não irei citar nada sobre a música, a voz… Apenas escute, sério, só escute.

Agora vamos falar das minhas três bandas preferidas.
The Animals – Please, Don’t let me be misunderstood. Qualidade musical é algo que se herda, certo? Vamos começar com um dos melhores.

Silverchair – Tomorrow.

Silverchair foi capaz de marcar a minha adolescência inteira quando comecei a sentir os tropeços que o amor me causaria. Eu jamais, jamais, esquecerei dessa banda e do quanto foram suficientes para as minhas horas de tortura.
Placebo – Blind

Para a maioria do pessoal, essa banda ficou conhecida com o filme “Segundas Intenções”, marcou mais outra fase. Eu recomendo que procurem saber outras músicas, porque com certeza você irá garantir mais outras horas de puro som intenso e letras que lhe farão flutuar em seu interior.

FILME:

scoot

Eu ainda farei uma lista com os dez + românticos, puro drama, biográficos, e por aí vai. Dessa forma, resolvi começar com um filme cômico, isso mesmo. Scott Pilgrim vs the World é simplesmente fantástico. Eu sou suspeita para falar porque já acompanhava o trabalho do Michael Cera bem antes de Superbad, e posso afirmar que a maioria dos filmes que assisti com ele, foram incríveis. Você dará bastante risada com as piadas cults, curtirá um som muito maneiro da banda do protagonista e ainda se acabará de rir com os Sete Malvados, uma liga dos ex-namorados da atual namorada de Scott. É um abordagem inédita, pelo menos eu acho. Não conheço um filme que se aproxime desse, e isso acabou colaborando para deixá-lo ainda mais interessante.

tumblr_m9ggdv3ahg1qafgl6o1_500

Para quem não sabe, Scott Pilgrim é uma série de histórias em quadrinhos escrita por Bryan Lee O’Malley. O primeiro volume saiu em 2004 e o último em 2010. Aqui no Brasil, podemos conferir a série através da Companhia das Letras, vale muito a pena! Resumindo, Scott é um canadense, preguiçoso, anti-herói, nada malhado, tampouco famoso. Ele toca baixo em uma banda com seus amigos, a “Sex Bob-OMB”. Daí ele se apaixona por Ramona Flowers, e de quebra para ficar com a mocinha que vive mudando a cor do cabelo, ele precisa derrotar “A Liga dos Sete Ex-namorados Malvados”. O filme mescla a história com os aspectos de um jogo de video-game, então é diversão garantida e de bom gosto.

1Outro filme que merece bastante espaço aqui é “O Escafandro e a Borboleta”. É baseado no livro do mesmo nome, de Jean-Dominic Bauby. Para quem não o conhece, recomendo verificar na internet, tem bastante informação adicional que vale a pena. Esqueça toda a sua visão sobre filmes que lhe desconcertam, porque “O Escafandro e a Borboleta” conseguiram me prender na cadeira do início ao fim. Chorei por motivos distintos, não somente por sentir o desespero da personagem refletido na atuação fantástica de Mathieu Amalric, mas também em tantos outros momentos quando você se sente o próprio Jean. E talvez essa questão de no início do filme você se deparar sendo a base da trama, ou seja, o uso da câmera como se você estivesse vendo a vida com o único olho de Jean, favoreceu o despertar das minhas lágrimas.

Olha, eu suspirei horrores com esse filme, tive que correr para comprar o livro e morri em prestações suaves, porque foi revigorante e desconcertante. A história do filme gira em torno de Jean (como disse anteriormente), um editor da revista Elle francesa, que sofreu um derrame cerebral e perdeu a locomoção, a capacidade de falar fora danificada drasticamente, e a visão de um dos olhos. Sobrou apenas um único olho com o qual, com a ajuda de uma médica, aprende a construir frases apenas com o ato de piscar os olhos. Ou seja, ela dita as letras do alfabeto de acordo com as que mais são usadas, e quando ela ditasse a letra que ele queria, piscava o olho para informar que desejava a mesma, e assim, aos poucos, formou palavras, frases, e para a surpresa, e indicando a capacidade do homem em se superar, “ditou” um livro inteiro. Estão convencidos a assistir esse filme? Porque realmente precisam!

escafandro1

“Longe desse escarcéu, no silêncio reconquistado, posso ouvir as borboletas voando pela minha cabeça. É preciso muita atenção e até certo recolhimento, pois o seu adejar é quase imperceptível. Uma respiração mais forte basta para abafá-las. Aliás, é espantoso. Minha audição não melhora, mas eu as ouço cada vez mais. De fato, as borboletas devem dar-me ouvidos.”

Jean-Dominique Bauby, O Escafandro e a Borboleta

 

Espero que tenham gostado das dicas. Até o final de semana trarei algumas resenhas, mais uma lista só que dessa vez com os meus atores favoritos e seus respectivos filmes de impacto. E claro, uma lista com os livros que mais arrancaram loucuras de mim.

.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current ye@r *